09/05/2019 às 19h50min - Atualizada em 09/05/2019 às 19h50min

Feito a mão e com amor: a arte da fabricação de tamancos de madeira passada de pai para filho em Ibirama

Fotos: Janete Schwarzrock

Atualmente é possível encontrar inúmeros tipos de sapatos, mas mesmo com o passar dos anos, há quem ainda não esquece e prefere o tamanco de madeira e couro. A arte de fabricar os tamancos foi trazida para a região pelos imigrantes, principalmente alemães e italianos.

Em Santa Catarina, na cidade de Ibirama está localizada uma das últimas fábricas de tamancos do país. A tamancaria que resistiu ao tempo e ao progresso está situada na localidade de Rio Rafael. Ela foi comprada por Hermann Schwarzrock, pai de Ademar Schwarzrock na década de 50. De acordo com a família, a fábrica já funcionava há muito tempo antes no Bairro Ponto Chick em um antigo salão de bailes. 
 
A arte passou de pai, para filho. Ademar aprendeu o ofício do pai Hermann desde a infância. 

“Foi uma das primeiras coisas que eu aprendi a fazer, na época eu tinha apenas sete anos de idade”, conta o artesão. 




Na época que ainda não existia marketing, o negócio ia “de vento em popa”. A procura por tamanco era tão grande que segundo Ademar, a família trabalhava até tarde da noite para dar conta das encomendas.

“Sentíamos-nos muito felizes em ver o sorriso de quem comprava os tamancos, ainda hoje quando realizamos uma venda ou recebemos visitas aqui na fábrica, nosso coração se alegra”, conta Schwarzrock. 

Com o tempo o tamanco foi trocado por sandálias de borracha. De acordo com historiadores, no século passado, por conta da industrialização e o desenvolvimento a procura por tamancos começou a diminuir principalmente nas áreas urbanas. Ainda conforme pesquisas, com a industrialização houve também à redução do número de artesãos de tamancos no mundo.  Há cerca de cem anos mais de oito mil pessoas trabalhavam na indústria de tamancos de madeira, hoje o número é previsto para cerca de 10% desse total. 

Apesar de aparentar ser muito pesado, o tamanco é leve. Ademar explica que o sapato de madeira é mais procurado no inverno, de maneira especial pelos mais idosos. A sola de madeira do tamanco permite manter os pés alguns centímetros acima do nível do chão, protegendo os pés da umidade.  Conforme o artesão, o revestimento em couro trás conforto e mantém a temperatura.

“É um calçado muito bom para o inverno, pois ele deixar o pé mais quente e isola a umidade. O tamanco é seguro, principalmente para andar em lugares molhados”, diz Ademar. 

O molde dos tamancos de madeira tem mais de 80 anos. O trabalho é manual.  Todo o material é escolhido com cautela. De acordo com a família, a madeira precisa ser cortada e lixada. Já o couro ganha forma nos moldes. Depois a cobertura é pregada. Os pregos ganham o reforço de um arame e uma faixa, para pendurar.  Emocionado, Ademar que ainda faz outros trabalhos com madeira conta que vai continuar produzindo os tamancos. 

“E eu amo fazer os tamancos, então vou continuar fazendo-os até quando puder e tiver saúde”, afirma o artesão. 

Os tamancos são calçados tradicionais há centenas de anos.  De acordo com o Centro Cultural Castrolanda, os tamancos mais antigos do mundo foram achados conservados em Rotterdam e Amsterdam e teriam sido usados no século 13.  Ainda segundo o centro, esses sapatos de madeira são exatamente iguais aos tamancos produzidos ainda hoje.
Link
Relacionadas »
Comentários »
Anuncie Aqui!
Marketing Digital e Alcance de Qualidade
Atualizações diárias