20/06/2018 às 11h40min - Atualizada em 20/06/2018 às 11h40min

Conheça o Projeto Sorriso: Palhaços doutores levam alegria a pacientes do Hospital Dr. Waldomiro Colautti em Ibirama

Por: Ananda Back

Perucas coloridas, óculos engraçados, nariz de palhaço, fantasias e muitas “injeções” de risos. Estes são alguns dos "medicamentos” que os "doutores”, voluntários do Projeto Sorriso, irão aplicar nos pacientes do Hospital Dr. Waldomiro Colautti, em Ibirama. A partir desta quarta-feira (20), esses especialistas em alegria, o Dr. Amnésia, Dr. Pateta e a Dra. Meilukinha vão invadir os corredores da unidade para levar um complemento ao tratamento médico: uma dose de alegria.

Para melhorar o astral dos pacientes e tornar o ambiente hospitalar mais aconchegante, os voluntários que apostam no riso como melhor remédios irão contar histórias, cantar e fazer várias brincadeiras. Pacientes de todas as idades serão visitados pelos artistas semanalmente. Acompanhantes, médicos, enfermeiros e outros servidores também vão receber mensagens da equipe. No inicio a visita vai ser uma vez por semana, com duas horas de atividades.

A busca pelo amor e o sorriso é a missão desta equipe. O grupo usa como inspiração, a história do médico americano Patch Adams, pioneiro na utilização dos palhaços e terapia do riso em vários hospitais do mundo, que escreveu o livro: o amor é contagioso. Uma das frases que ficou conhecida e é levada no coração dos voluntários é: "Comprimidos aliviam a dor, mas só o amor alivia o sofrimento”.



Além do Dr. Patch Adams, os integrantes do Projeto Sorriso contam com outras experiências semelhantes para auxiliar no trabalho, como a Clown Care Unit nos EUA, Le Rire Médicins na França, Klow Doktoren na Alemanha e os Doutores da Alegria no Brasil.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha, as gargalhadas liberam substâncias químicas que agem como um analgésico natural, reduzindo a dor.

“Fazer o trabalho com amor e dedicação é fundamental para o sucesso da visita. Amamos o que fazemos e isso faz com que o trabalho seja bem mais gratificante. A maior satisfação é o sorriso do paciente. Isso muda nosso dia. É muito emocionante," disse o coordenador Geral Volnir Garcia.


Para o voluntário Volnei Garcia, contribuir com o bem-estar e a recuperação dos pacientes tendo o riso como complemento clínico é muito gratificante.

“É uma experiência enriquecedora, vale a pena fazer parte deste projeto", afirma Garcia.


Para o diretor do Hospital, Roberto Ferrari, o processo de hospitalização é algo complexo, e depende do contexto de cada paciente, trazendo medos, angustias para o paciente e família.

“Ações dessa modalidade, a qual já desenvolveu,trazem alegria, positividade, melhoram a relação entre o profissional de saúde e o paciente, aliviando a dor através do amor em cada riso proporcionado ao paciente. Com certeza esse projeto vem para melhorar o período de internação dos nossos pacientes, amenizando as mudanças e dificuldades desse momento,” disse Ferrari.




Há vagas para voluntários no grupo, as inscrições poderão ser feitas a partir de julho até setembro. Logo depois será feita uma seleção e avaliação de perfil e treinamentos. Os interessados podem entrar em contato para agendar entrevista através da página do Projeto Sorriso no Facebook ou pelo fone/WhatsApp (47) 99730-6670 com a coordenação do núcleo.
 
 
O projeto

O Projeto Sorriso também atua nas cidades de Blumenau, Pomerode e Timbó. O Projeto é uma organização social sem fins lucrativos formada por voluntários e iniciou em 2005, por dois estudantes do curso de Medicina da Universidade Regional de Blumenau – FURB. Sendo que estes estudantes criaram o grupo pensando em aproximar as relações entre os médicos e os pacientes, tornando-as mais humanas.



Objetivos

De acordo com a coordenação, o Projeto Sorriso tem como objetivos:
  • Levar aos hospitais algo multicolorido que destoe do ambiente frio e hostil ao riso e inóspito de alegria, promovendo um instante de alegria aos pacientes internados.
  • Trabalhar a humanização, promovendo atividades sociais relacionadas à saúde da população.
  • Tornar o dia a dia dos idosos de asilos um pouco mais feliz promovendo visitas e ações sociais em saúde.
  • Levar os trabalhos às alas quimioterápicas e de diálise de clínicas e hospitais.
  • Levar alegria e diversão às APAEs e casas de cuidados a pacientes especiais.
  • Levar o trabalho de humanização aos CAPs ( Centro de Atenção Psicossocial) .
  • Participar e implantar processos de humanização em hospitais, clínicas, APAEs, orfanatos, asilos, CAPs, ambulatórios, consultórios, UTIs.
  • Servir de exemplo para os profissionais da saúde acreditarem e defenderem um comportamento mais humanitário.
  • Servir de inspiração e incentivo aos jovens, adultos e idosos do país a buscarem a doação de algumas horas ao próximo.
  • Mudar, nem que seja por um segundo a rotina dos hospitais, trazendo para o paciente: alegria, esperança, VIDA.
  •  
Link
Relacionadas »
Comentários »
Anuncie Aqui!
Marketing Digital e Alcance de Qualidade
Atualizações diárias